Thursday, January 14, 2010

Como Obter Sucesso nos Estudos



Introdução

Muitos alunos dissem que, apesar de estudarem muito, mas não conseguem aprender. A seguir, você verá que se você utilizar determinadas técnicas de estudo, conseguirá aprender efetivamente e surpreenderá a todos e a si próprio.


Leia atentamente todos os pontos. Releia para absorver melhor as técnicas.
A primeira dica para quem quer aprender é: dê importância ao que você estuda e tente relacionar o conteúdo à sua vida. Nem sempre isto é possível, então pense nisso: Se o conteúdo foi escolhido para eu estudar, então deve ser importante e me servirá em algum momento da minha vida.
Espero que você realmente absorva todas as técnicas de estudo. Afinal de contas, para aprender, não basta estudar. É preciso saber estudar!

Professor Leônidas Zazelis

1. ELEMENTOS ESSENCIAIS NA APRENDIZAGEM

São importantes na aprendizagem três elementos: a atenção, a memória e a associação de idéias.

a) Atenção:
O cotidiano apresenta uma gama quase infinita de fenômenos que se sucedem ininterruptamente, causando nos indivíduos o que se chama dispersão. No entanto, cada indivíduo é dotado da capacidade de, dentre este turbilhão de fenômenos, selecionar alguns e considerá-los isoladamente dos demais. A esta capacidade se dá o nome de atenção - capacidade de concentração da inteligência em um só objetivo. O fator psicológico que possibilita esta seleção é o que a psicologia chama de "mecanismo de inibição", que permite deixar de lado algumas coisas e considerar outras. Fatos corriqueiros que demonstram esta capacidade podem ser vivenciados facilmente. Por exemplo: ao andar na rua, um indivíduo pode chegar a esbarrar em um seu conhecido sem tê-lo identificado previamente. O mecanismo de inibição exige dispêndio de energia, proporcional ao tumulto do ambiente, o que significa: quanto maior é a turbulência ambiental, maior é o dispêndio de energia exigida para manter a atenção e maior é o desgaste do indivíduo.
Dentre os princípios fundamentais para o desenvolvimento da atenção, pode-se citar:
1. Concentração: Normalmente a atenção fixa-se em um determinado objeto, havendo casos em que ela pode se dividir entre dois objetos, embora com perda de eficiência, como por exemplo, estudar ouvindo música.
2. Intermitência: A atenção não pode se manter fixa por longos períodos sem perder a eficácia, de onde se conclui que um período de atenção requer outro de descanso. Este outro período deve ser preenchido com objetos diferentes: alternar o estudo com o ato de ouvir música.
3. Interesse: Quanto maior é o interesse em uma determinada área, tanto maior será a facilidade de atenção.

b) Memória:
A memória pode ser definida como a capacidade de retenção, conservação e lembrança de fatos vivenciados pelo indivíduo. Isto quer dizer que esta capacidade está sempre relacionada com o indivíduo e sua circunstância, pois é por ela que o mesmo mantém sua própria identidade. Sem ela, o indivíduo deveria reaprender absolutamente tudo: falar, ler, raciocinar, comer, fazer gestos, que no indivíduo normal são atividades automatizadas da memória.
É preciso distinguir "memorizar" de "decorar". Decorar é reter a "forma material" e não o conteúdo inteligível de determinado conhecimento, ao passo que memorizar é reter a "forma significativa" de um conteúdo inteligível, ou seja, reter a sua compreensão. A memorização permite a reconstrução de algo conhecido, enquanto o ter decorado permite somente a repetição, ainda limitada e por pouco tempo.
Existe vários tipos de memória:
1. Visual: facilidade em evocar as imagens daquilo que se viu.
2. Auditiva: facilidade em evocar aquilo que se ouviu.
3. Motora: evocação rápida daquilo que se fez.
4. Afetiva: lembrança fácil de relações emotivas.
5. Locativa: evocação fácil da região geográfica do objeto ou fato.
6. Nominativa: facilidade em lembrar nomes ou palavras relacionadas.
A eficácia variável da memória decorre de que alguns possuem, por exemplo, mais desenvolvimento na visual que na auditiva, não significando isto que o indivíduo não possa ou não deva desenvolver todos os tipos.

c) Associação de idéias:
É a capacidade que possibilita ao indivíduo relacionar e evocar fatos e idéias. Esta capacidade pode ser constatada, por exemplo, numa conversa informal. É fácil observar quantos assuntos diferentes vêm à tona por fatos e idéias relacionadas com experiências anteriores dos interlocutores que são suscitados pela troca de palavras que a conversa exige.

2. NA SALA DE AULA

01. Preste atenção às explicações do professor: assim você terá gravado muito da matéria.
02. Observe e descubra o jeito próprio de cada professor lecionar.
03. Mantenha a atenção e a concentração na aula.
04. Concentrar-se significa livrar-se das distrações, das brincadeiras, das conversas paralelas e desnecessárias, deixar de ficar "voando", e focalizar a atenção naquilo que está sendo explicado ou feito.
05. Olhe para o professor, acompanhe-o quando escreve no quadro ou faz indicações em mapa ou cartaz.
06. Faça mentalmente perguntas sobre o que está sendo explicado; relacione com o que você já sabe e com o que foi estudado nas aulas anteriores.
07. Se você não entendeu a matéria, peça esclarecimentos ao professor. Não diga: "Eu não entendi nada!"; seja específico: "Eu não entendi esse ponto, aquela parte".
08. Se a exposição foi muito teórica, abstrata, solicite exemplos práticos, ou você mesmo procure apresentar exemplos e pergunte ao professor se eles se encaixam no que foi explicado.
09. Faça anotações que sejam úteis ao estudo posterior.
10. A anotação deve: ajudar a entender a matéria, ajudar na revisão, auxiliar nas tarefas, ajudar na preparação para as provas.
11. Antes de ir à escola, dê uma olhada na matéria da próxima aula.
12. Solicite ao professor indicações de leituras para aprofundamento da matéria.
13. Mantenha uma Agenda escolar e anote: tarefas, trabalhos, pesquisas, etc.
14. Evite sentar-se no "fundão" da sala. Geralmente lá o barulho dos alunos é maior e a voz do professor chega mais fraca e baixa, além da visão do quadro ser mais difícil.

3. O ESTUDO EM CASA: ORIENTAÇÕES PARA MELHOR PROVEITO

01. Comece a estudar hoje.
02. Estude todos os dias.
03. Adquira o hábito de estudar e discipline sua mente.
04. É mais produtivo estudar um pouco todos os dias, do que muito de vez em quando.
05. Quando for estudar, faça-o intensamente, pra valer!
06. Estude com a intenção de aprender e não esquecer.
07. Não acumule a matéria para estudar.
08. Não revise apenas na véspera ou no dia da prova.
09. Pense sempre que não é difícil aprender; se milhões de estudantes aprendem, por quê você não haveria de aprender também?
10. Se você não gosta da matéria, procure superar seu desafeto.
11. Se você não gosta do professor, pense que matéria não tem nada a ver com isto...
12. Peça ajuda nas dificuldades: professores, pais, orientadores, amigos podem ajudá-lo.
13. Não engane a si mesmo dizendo-se pouco inteligente ou que a matéria é difícil. Enfrente os desafios e faça o melhor que puder.
14. A escola é apenas o lugar onde você se orienta. O sucesso do estudo depende de você.
15. Não seja dependente do professor. Não espere que ele "dê a matéria". Pesquise e descubra você mesmo!
16. Quando o estudo não é habitual, torna-se pesado e difícil.
17. Os pontos de uma disciplina têm relação entre si e visam ao mesmo objetivo: o conhecimento da matéria. É importante que, ao estudar, você vá procurando sentir essa relação, recapitulando periodicamente, para compreender o todo.
18. As dúvidas que você encontra em determinados pontos podem estar relacionados com pontos anteriores. Convém verificar sempre. Não prossiga seus estudos carregando dúvidas. Elas devem ser solucionadas e eliminadas, para que não se tornem progressivas.
19. Não faça anotações sem qualquer ordem. Isso não adianta nada, embora possa fazê-lo sentir-se interessado na matéria. Somente fará com que você se desconcentre da explicação e desvie-se daquilo que é realmente essencial.
20. Em casa, no mesmo dia, desenvolva as anotações da aula. É muito importante passar a limpo os pontos no mesmo dia. A memória ainda está fresca. A voz do professor ainda está em seus ouvidos e a visão do quadro ainda está diante de seus olhos.
21. O ponto organizado por você somente será completo e útil para estudar, se você completar suas anotações de aula consultando apostilas, livros, etc.
22. O acúmulo de matérias exigirá de você um esforço maior que o normal e poderá levá-lo ao cansaço e ao desinteresse (ou ao desespero).
23. Se tiver alguma dúvida que não consiga resolver, anote para que na próxima aula possa perguntar ao professor.
24. Adquira o hábito de escrever todos os dias (cartas, diário, anotações, resumos, etc.)

4. LOCAL DE ESTUDO

01. Adquira o hábito de estudar sempre no mesmo lugar. Mantenha um "cantinho de estudo". Evite estudar cada vez em um lugar diferente.
02. Um mínimo de condições ambientais são necessárias para que o estudo em casa possa render:
Ventilação: se você se fecha num quarto sem ventilação, com o passar do tempo sentirá sono, dor de cabeça ou enjôo, pois o ar perde gradualmente o oxigênio.
Ruídos: conversas, TV, música, telefone, trânsito só atrapalham...
Iluminação: a luz solar é a melhor. Quanto à luz artificial, a luz branca (fluorescente) é melhor que a amarela (incandescente). A luz deve vir do lado esquerdo ou da frente para evitar sombras.
03. Mantenha sobre a mesa somente o material necessário para o seu estudo.
04. Mantenha à mão o material necessário. Evite interromper o estudo para procurar algo que precisa.
05. Sua mesa deve estar sempre bem organizada e projetada para que você possa estudar de forma proveitosa.
06. Olhe para sua mesa: existem coisas que não deveriam estar lá? Tire-as! Faça uma limpeza. Organize-a!
07. Uma mesa confusa e desorganizada provoca cansaço, ineficiência, desânimo, frustração, stress, etc.
08. Cuidado com as gavetas! Evite a tentação de limpar a mesa enchendo as gavetas.
09. Se você estuda em seu quarto, seja firme e evite ir para a cama quando sentir preguiça.
10. Não acumule papéis desnecessários. Evite juntar pilhas de papéis que você não sabe o que fazer.
11. Jogue fora imediatamente papéis e objetos que não servem para nada.
12. Não faça cópias desnecessárias para você ou para os outros.
13. Organize um arquivo lógico, conforme suas necessidades, usando pastas ou caixas.
14. Mantenha seu local de estudo em ordem. Um ambiente desordenado causa dispersão da atenção.


5. TEMPO

01. Planeje seu horário.
02. Sem um horário, é provável que você perca muito tempo pensando quando e o que estudar.
03. Divida sem tempo conforme a necessidade de estudo.
04. O horário pode ser modificado, mas não o faça com muita freqüência.
05. Estabeleça um horário fixo e diário para estudar.
06. Não marque compromissos para o horário do estudo.
07. Peça a seus amigos para não telefonar ou visitar no horário de estudo.
08. Não demore a começar a estudar; respeite seu horário.
09. Estabeleça em seu horário tempos-padrões: Por exemplo - meia hora para cada matéria. Assim o estudo será mais proveitoso.
10. Reserve alguns minutos para descansar a mente durante o estudo.
11. Estabeleça seu tempo ideal de estudo.
Tempo demais: algumas pessoas fazem bom uso do excesso de tempo, pensando bem e executando suas tarefas de forma cuidadosa e criativa; outras adiam os deveres, fazendo uso ineficaz do tempo.
Falta de tempo: estudar sob pressão é sempre prejudicial.
12. "Falta de tempo" não é desculpa. Podemos encontrar tempo para tudo!

6. MATERIAL

01. Ao longo de sua vida escolar, o estudante deve começar a formar sua biblioteca pessoal, adquirindo aos poucos e de maneira sistemática, os livros fundamentais para o desenvolvimento do estudo.
02. Forme seu acervo pessoal: livros introdutórios, textos fornecidos pelo professor, revistas, enciclopédias, dicionários e apontamentos pessoais.
03. Mantenha à mão: papel, fichas, lápis, canetas, marcadores, blocos de notas, etc. Evite desperdício de tempo procurando este tipo de material.
04. Aprenda a utilizar as bibliotecas; explore-as ao máximo.
05. É pecado mortal roubar ou danificar livros de bibliotecas públicas.
06. Não estrague livros ou revistas de bibliotecas ou de amigos. Se você precisa de uma gravura ou desenho que encontrou num livro, faça uma fotocópia colorida.
07. Lembre-se de devolver os livros que empresta. Outras pessoas também precisam deles.


7. CUIDADOS COM O CORPO
01. Lembre-se sempre: Mente sã em corpo são.
02. O sucesso do trabalho intelectual depende da saúde corporal.
03. Procure dormir o tempo necessário.
04. O sono durante o estudo pode ser combatido lavando-se o rosto e os pulsos com água fria.
05. Quando você tiver que estudar e sentir cansaço, um banho morno ou frio costuma aliviar a sensação de cansaço.
06. Não tome café ou use estimulantes para manter-se acordado.
07. É mais produtivo levantar-se mais cedo para estudar do que dormir mais tarde.
08. Dificuldades no estudo podem estar relacionadas a problemas de visão ou audição. Consulte um especialista.
09. Não comece a estudar se você está com fome, sede, sono ou dor, pois não terá uma boa concentração.
10. Aprenda a ler os sinais de stress em seu corpo.
11. Estabeleça momentos de relaxamento durante o estudo.
12. Faça exercícios regularmente.
13. Use roupas confortáveis.

8. CONCENTRAÇÃO

01. Tire da cabeça e da mesa tudo o que não diz respeito ao que vai ser estudado.
02. Observe se na sua mesa não há objetos que causam distração.
03. Resolva pequenos problemas antes de iniciar o estudo (telefonemas, trabalhos, etc)
04. Caso se lembre de algo a fazer durante o estudo, anote num papel e faça depois.
05. Não demore para começar a estudar. Faça-o imediatamente para evitar que a atenção se desconcentre.
06. O horário fixo e diário formará o hábito de estudar, que lhe servirá de "despertador".
07. Evite estudar comendo ou mascando chicletes.
08. Evite estudar com rádio ou TV ligados.
09. No processo ensino-aprendizagem há um limite de tempo para a assimilação de conteúdos e manutenção da atenção em virtude do stress que causa a atividade intelectual prolongada, além de uma hora e meia.

09. ESTUDO EM GRUPO

É comum entre os estudantes a realização de estudos e/ou trabalhos em grupo. Para melhor aproveitamento deste tempo que se dedica ao estudo em grupo, algumas informações são importantes:

01. O número de componentes do grupo não deve ser muito grande. Em geral não é prudente exceder a 5 (cinco) elementos, dada a facilidade de dispersão e "parasitismo".
02. Uma pessoa deve ficar com o encargo de coordenador para dirigir os trabalhos. O coordenador deve ser rígido e evitar dispersões e conversas paralelas que fogem do assunto
03. Um trabalho em grupo só se efetiva quando as tarefas são assumidas, os horários são respeitados, enfim, quando se decide aproveitar o tempo e o esforço de um modo comum.
04. Marque um horário para começar e terminar o trabalho em grupo.
05. Uma vez reunidos no horário combinado, os elementos do grupo devem começar o trabalho sem maiores rodeios, definindo-se as tarefas, etapas e procedimentos.

10. PROVAS

01. Comece a preparar-se para as provas com bastante antecedência.
02. Não deixe para estudar apenas na véspera.
03. Na véspera da prova, consulte apenas os resumos e anotações mais importantes.
04. Durma cedo na véspera da prova e descanse bem.
05. Quem estuda não tem medo da prova.
06. Ouça com atenção as orientações do professor sobre a prova ou leia atentamente o cabeçalho da prova.
07. Leia o enunciado de todas as questões e comece pelas mais fáceis.
08. Não tenha pressa; o tempo da prova é geralmente suficiente.
09. O medo de tirar nota baixa ou a necessidade de tirar nota alta pode causar nervosismo e ansiedade; mantenha a auto-confiança.
10. Não estude apenas pela nota; estude pelo prazer de aprender.
11. Se você costuma fazer a prova pela ordem das questões, isso poderá prejudicá-lo. Nem sempre as primeiras questões são as que você sabe e poderá fazê-lo perder muito tempo.
12. Alguns dias antes da prova verifique se tem todo o material trabalhado pelo professor em ordem, para não incomodar os colegas pedindo caderno emprestado na véspera da prova.
13. Rezar é bom, mas o Espírito Santo não vai dar a resposta da prova para você. O melhor mesmo é estudar.
14. Durante a prova, mantenha: calma, atenção e segurança.
15. Resolva todas as questões; nunca faça apenas um número de questões que você julga suficiente para tirar a nota que precisa para fechar.
16. Pense antes de escrever!
17. Não "cole". A fraude pode custar caro!
18. Releia a prova antes de entregá-la ao professor.
19. Quando receber a prova de volta, observe os erros e aprenda com eles.
20. Tire as dúvidas com o professor.
21. Não jogue fora a prova quando ela for corrigida e devolvida a você. Ela é documento que pode ser útil mais tarde.

11. A LEITURA

A leitura é um processo que envolve algumas habilidades, entre as quais a interpretação do texto e sua compreensão. O processo inicia pelo reconhecimento das palavras impressas, o que pode ocorrer sílaba por sílaba, palavra por palavra ou conjunto de palavras ou captação de frases inteiras. Após o reconhecimento, passa-se à interpretação do pensamento do autor para, a seguir, compreendê-lo. O passo seguinte será a retenção das idéias do autor e, quando necessário, a reprodução das idéias de modo pessoal, o que confirma a compreensão.
A leitura não é simplesmente um deslizar dos olhos pelas letras impressas. No mecanismo da leitura, os olhos saltam de um ponto na linha e fixam-se em outro. Quando o olho salta, nada vê; quando se fixa, consegue ver. Portanto:
A boa leitura depende do número de fixações por linhas
Captar um conjunto de palavras em cada fixação aumenta a velocidade da leitura.
Quando se lê sílaba por sílaba ou palavra por palavra, além de a leitura ser mais lenta, o significado permanece truncado.
Para alguém tornar sua leitura mais eficiente precisa aprender a ler pelo significado., o que se consegue captando conjuntos de palavras.

Tipos de leitura:
a) Recreativa, cujo objetivo é trazer satisfação à inteligência.
b) Crítica, onde existe um confronto de idéias entre o leitor e o autor.
c) Assimilativa, em que o leitor reconhece o autor como autoridade e procura aprender com ele seu conteúdo.

Deficiências de leituras:
O bom leitor procura superar suas deficiências:
a) Mecanismo ocular - ignorando o funcionamento deste mecanismo, há pessoas que lêem com movimentos de cabeça.
b) Sentido truncado - por ler aos pedaços, o leitor não apreende o significado nem as idéias, o que força o retorno a linhas anteriores, para fixar o sentido.
c) Mecanismo fonador - à medida em que lê, o leitor tenta acompanhar os olhos com movimentos labiais, ou articulando a língua embora com a boca fechada, ou quer fazer "leitura em voz baixa", ou seja, está subvocalizando.

Para que a leitura seja proveitosa, é preciso levar em conta ainda:
Prazer: se você vai ler um livro por obrigação ou imposição, com certeza será uma tarefa penosa e desagradável.
Ambiente: ônibus e cama não são os lugares idéias para a leitura.
Nível de conhecimento: não adiante ler um livro sobre um assunto totalmente desconhecido por você, com uma linguagem técnica e incompreensível.
Antes de ler o livro, dê uma olhada na orelha, nos dados sobre o autor, no resumo da capa, no índice, na introdução.
Velocidade: ter velocidade na leitura não significa que o leitor compreende tudo o que está lendo com a mesma rapidez. Cada pessoa tem sua própria velocidade de leitura. Por outro lado, livros técnicos, revistas, jornais, romances exigem padrões diferentes de velocidade. O bom leitor sabe ajustar a sua velocidade de leitura de acordo com o assunto.

1 comment :

Deixe seu comentário! Ele é muito importante para o desenvolvimento do Blog. Ainda hoje seu comentário será postado aqui.